Inaugurada em 1985, a EFC tem 892 quilômetros, ligando a maior mina de minério de ferro a céu aberto do mundo, no Pará, ao Porto de Ponta da Madeira, em São Luís (MA). São transportados 120 milhões de toneladas de carga e 350 mil passageiros/ano; liderando o ranking das ferrovias mais eficientes do Brasil

O estudo que a Synergia está realizando visa prover a Vale de informações e análises técnicas que indiquem graus de criticidade, avaliação de tráfego e outras questões para a leitura das condições de mobilidade e a interrelação da ferrovia com as comunidades de seu entorno que subsidiará o processo de renovação do contrato de concessão de sua operação.

O estudo deve apresentar informações acerca das motivações de utilização das travessias e também sobre o funcionamento de equipamentos em áreas de entorno às travessias que promovam o trânsito de pessoas e veículos sobre a linha férrea, permitindo à Vale conhecer o comportamento de pedestres e condutores de veículos que podem acentuar riscos de acidentes.

Fazem parte do escopo do trabalho da Synergia: i. realização de estudo demográfico das comunidades ao entorno da ferrovia; ii. análise de tráfego solicitante nas 101 Passagens de Nível Oficiais ao longo da EFC e de 20 Passagens Clandestinas, 46 Viadutos Rodoviários (VR’s), 34 Travessias Clandestinas/Futuras Travessias e Pontos relevantes, 119 Passagens de Veículos sob a Ferrovia (PV’s), 10 Passagens Inferiores sob a Ferrovia (PI’s) e de 09 Passarelas existentes; iii. análise  de riscos associados a estes pontos e análise do tipo de atendimento que estas transposições estão submetidas (comunidade, fazenda, interligação de rodovia, etc); iv. análise comparativa entre  o cenário atual com a proposta do novo contrato de concessão junto a agencia reguladora (ANTT).

Cliente

VALE S.A

Datas do Projeto

2017 – 2018